Medalha da Batalha Naval do Riachuelo

Medalha criada em 18 de Novembro de 1865, sob o decreto nº 3529, onde o Imperador Dom Pedro II a concede aos oficiais e praças da Armada Nacional, como prova de consideração, pelo valor e denodo revelados naquela que foi a maior batalha naval já travada até o momento: A Batalha Naval do Riachuelo.

Todas as praças da Armada e classes anexas que fizeram parte da esquadra em operações no Combate de Riachuelo, nas águas do Rio Paraná contra a República do Paraguai, receberam a medalha. Sua fita é branca com duas listas verdes laterais da largura de 6 mm, ficando a orla igualmente branca, com 2 mm de largura.

Os oficiais generais receberam a medalha para uso no pescoço, com 37 mm, em ouro. Os oficiais superiores a receberam no mesmo metal. Os subalternos e praças de marinha a receberam em prata. O Corpo de Imperiais Marinheiros e Batalhão Naval receberam em bronze. Todas as medalhas, exceto as de oficial General, medem 25 mm.

O decreto de nº 3548 de 29 de novembro de 1865, referendado pelo Ministro da Guerra, Ângelo Muniz da Silva Ferraz, Barão de Uruguayana, fez extensivas aos oficiais e praças de pret do Exército que tomaram parte no Combate Naval de Riachuelo as disposições so Decreto nº 3529, do mesmo mês.

A medalha traz no anverso a inscrição: “Petrus II D. G. Const. Imp. Et Perp. Brás. Def. 1865”. No campo a efígie do Imperador á esquerda, entre dois ramos, um de fumo e outro de café.

No reverso: “Combate Naval do Riachuelo”. No campo, entre um ramo de carvalho e um de palma, uma âncora e uma peça de artilharia (canhão) em cruz. Sobre elas e ao centro, um escudete com a inscrição “11 de junho de 1865”.

Sobre a medalha há uma coroa imperial, articulada e encimada por uma argola para a fita.

Podemos afirmar que a medalha de 37 mms, para oficiais generais, não foram feitas em ouro, mas sim em prata dourada, em virtude de seu peso excessivo.
Das medalhas de 27 mms, conhecemos dois cunhos: Casa da Moeda e o da Joalheria do Barão de São Victor.